Agenda ON Saúde

2º SIMPÓSIO DA MICRO-REDE DE ATENÇÃO À CRISE SUICIDA

TEMA: Comportamento suicida: Conhecer, Sentir para Prevenir

As mortes por suicídio vêm crescendo nas últimas décadas, especialmente entre crianças e adolescentes. Dados do Ministério da Saúde mostram que, de 2000 a 2015, os suicídios aumentaram 65% entre pessoas com idade de 10 a 14 anos e 45% de 15 a 19 anos. Números tão alarmantes preocupam e, para tratar de um tema que precisa romper as barreiras do silêncio e ser cada vez mais discutido, a SGP (Sociedade Goiana de Pediatria) apoia a campanha “Setembro Amarelo”, de conscientização sobre a prevenção do suicídio.

Iniciado no Brasil em 2015 pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e pela ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), o Setembro Amarelo chama a atenção para o grave problema de saúde pública que é o suicídio. As ações ligadas ao mês mobilizam pessoas e entidades de todo o País, que promovem palestras, orientações, rodas de conversas e outras atividades. Elas visam informar públicos de todas as idades sobre a importância de entender comportamentos e emoções que levam ao suicídio, reconhecimento de sinais de risco, a necessidade de auxílio psicossocial, entre outras formas de prevenir a situação.

Foco nos sinais

Pais, familiares e profissionais que acompanham crianças e adolescentes podem perceber alguns sinais que indicam um comportamento auto lesivo. Entre eles estão o isolamento e anedonia (perda de interesse em atividades antes praticadas), sentimento de abandono, problemas familiares e escolares, desesperança em relação ao futuro, e o uso de álcool e outras drogas. Os pais devem estar sempre atentos às mudanças de conduta dos seus filhos, como irritação, agressividade e constantes alterações de humor. Além disso, é necessário supervisionar o que eles fazem na internet, pois eles podem estar sofrendo cyberbullying ou participando de desafios e jogos online que colocam suas vidas em risco.

Se o responsável perceber esses sinais na criança ou adolescente, a especialista destaca que o primeiro passo é buscar conversar e compreender, sem deixar de procurar ajuda profissional. Para prevenir o suicídio, o melhor caminho é o diálogo. Contudo, o acompanhamento psicológico e médico é fundamental para o diagnóstico e tratamento adequados. Cerca de 80% dos casos de suicídio estão associados a problemas psiquiátricos, como depressão e transtorno bipolar. Situações que apresentam sinais de alerta para transtornos podem ser notadas na consulta. Baseados nesses dados, e na disposição de promover a saúde mental em nosso estado que o Ambulatório de Atenção à Crise Suicida; Universidade Federal Do Amapá e Projeto Atuação pela vida, estão promovendo esse grande evento.

 

QUEM PODE PARTICIPAR? Psicólogo (a), acadêmicos de Psicologia, comunidade escolar, Enfermeiro (a), Terapeuta Ocupacional, médico (a), Assistente Social, Educador Físico, Fonoaudiólogo, acadêmicos de qualquer curso que tenham interesse na temática e a comunidade em geral!

PROGRAMAÇÃO  E INSCRIÇÕES

IMMES – Jovino Dinoá, 2085
Clinica de  Psicologia (2º andar)
Internet:
http://doity.com.br/2-simposio-da-micro-rede-de-ateno-crise-suicida

Data: 05 e 06 de setembro de 2019
Horário: 8h às 12h – 14h às 18h
Local:  ANFITEATRO DA UNIFAP
Valor:$20,00

 

 

Realização:  Ambulatório de Atenção à Crise Suicida; Universidade Federal Do Amapá e Projeto Atuação pela vida.

Coluna On

Coluna ON é um portal que vai além das notícias, agregando jornalismo cultural de qualidade com a agilidade da linguagem das redes sociais.

Comentar

Clique aqui para publicar um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: