Saúde

Vamos falar de ansiedade, mas o que é isso, afinal?!

Com os passar dos anos parece ser mais nítida a capacidade humana de concentrar diversas funções, trabalhos, atividades em um único dia. Mas, será que tanta funcionalidade têm gerado efeitos benéficos na saúde?! Ela chega quase que imperceptível, e quando nos damos conta, ela está muito bem instalada; Assim é a ansiedade, mas não confunda, porque ela têm algumas diferenças em seus sinais e sintomas que a tornam uma doença.

 

A ansiedade faz parte da existência humana, ela ajuda no desenvolvimento e na capacidade para realizar ou motivar a realização de seus objetivos. Quando a ansiedade é gerada em um grau leve, várias respostas no corpo humano são ativadas, auxiliam no aprendizado. A pessoa com esse grau leve de ansiedade relata ficar mais atenta ao ambiente, com a atenção e percepção mais apurada, consequentemente impulsionando a criatividade, aprendizagem.

 

Já a ansiedade patológica é incapacitante, pois gera respostas físicas no corpo que atrapalham o bom funcionamento do organismo, gerando consequências na saúde como: suor frio nas maõs, batimentos cardíacos acelerados, falta de ar, sensação de incapacidade, dor de cabeça, dor estomacal, tontura, perda de memória.

 

O grande fator que desencadeia a ansiedade seria o estresse. A vida moderna a qual estamos expostos nas grandes cidades, a fragilidades dos laços afetivos e principalmente a busca pela perfeição física, contribuem como fator estressante. Mas, dependendo da pessoa, ela vai responder de várias maneira, sejam boas ou ruins, o que chamamos de resiliência, sendo a capacidade de superar ou enfrentar situações adversas.

 

O enfermeiro pode intervir com medidas terapêuticas para a ansiedade patológica como: ensinar o paciente a identificar os sinais e sintomas da ansiedade e as maneiras de interromper o seu aumento como: técnicas de relaxamento, exercícios de respiração profunda, meditação ou atividades físicas, sempre levando em consideração o grau de ansiedade e sabendo identificar quando referênciar para um outro profissional da saúde mental quando houver a necessidade de recurso medicamentoso. Por isso, que pacientes com ansiedade necessitam de um olhar multidisciplinar para que esse acolhimento através da escuta qualificada seja baseado na melhora e remissão dos sintomas apresentados.

 

O diagnóstico de ansiedade patológica precisa passar uma avaliação rigorosa de um médico especialista em psiquiatria ou de um psicólogo. Vários profissionais capacitados na aréa da saúde mental como psicólogos, enfermeiros, educador físico podem dar suporte ao tratamento da ansiedade patológica, bem como na busca de evidências de sinais e sintomas de ansiedade para prevenir uma cronicidade da doença ou remissão. Lembramos ao leitor que a ansiedade patológica não têm cura e sim tratamento.

Regiane Neves - Enfermeira

Graduação em Enfermagem.
Universidade Federal do Amapá, UNIFAP, Brasil.
Especialização em Docência no Ensino Superior.
Faculdade de Tecnologia do Amapá, META, Brasil.

Comentar

Clique aqui para publicar um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: